ZPE CEARÁ começa a definir plano diretor da nova área da estatal

6 de maio de 2016 - 19:15

ZPE CEARÁ começa a definir plano diretor da nova área da estatal

A diretoria da ZPE CEARÁ participou hoje, 06, de uma reunião com o secretário de Assuntos Internacionais do Governo do Estado, Antonio Balhmann, para discutir estratégias de definição do plano diretor da nova área da estatal. Com a assinatura do Decreto pela presidente Dilma Rousseff, no último dia 04, a ZPE CEARÁ passou a contar com uma área total de 6.182,44 hectares, incorporando a área de 1.911,04 hectares antes destinada para a implantação da Refinaria Premium II da Petrobrás.

A nova área foi dividida por setores, sendo o Setor II Norte destinado para a captação de um projeto de refinaria compacta e moderna e o Setor II Sul para indústrias dos setores calçadista, têxtil, petroquímico, metalmecânico, agroindústria, granito e alimentos.O passo seguinte será o alfandegamento da nova área junto à Receita Federal do Brasil (RFB) por tratar-se de zona primária a ser gerida pela ZPE CEARÁ.

Segundo Balhmann, a ampliação da poligonal da ZPE CEARÁ significa a garantia de que o Estado possui área disponível para uma zona livre pelos próximos 50 anos. “O governador Camilo Santana fez um grandioso trabalho junto a presidente Dilma no sentido de antecipar a decisão de ampliar a nossa área por meio de decreto presidencial”, explica. Ele lembra que a agilidade foi muito importante, tendo em vista a possibilidade de um novo governo de características paulistas, que nunca teve interesse em promover os instrumentos de desenvolvimento econômico no Nordeste brasileiro.

Conforme Balhmann, a nova área já está paga pelo Governo do Estado e totalmente regularizada. “Dentro dessa nova área, temos a proposta negociada pelo próprio governador Camilo Santana no acordo Brasil-China, que prevê um espaço para a instalação de uma refinaria. Essa área assegura também a vinda de outros setores industriais, a exemplo de rochas ornamentais, calçados e autopeças, gerando milhares de empregos para o Ceará”, conclui.

.