ZPE Ceará fecha R$ 250 milhões em contratos operacionais.

8 de junho de 2017 - 12:51

Sobre o CIPP

 

O Secretário de Assuntos Internacionais do Estado do Ceará, Antonio Balhmann, reuniu ontem, 07, na ZPE Ceará, os dirigentes das empresas instaladas no Setor I: a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), a Vale Pecém, a White Martins Pecém e a Phoenix do Pecém para consolidar a assinatura dos contratos operacionais, que totalizam R$ 250 milhões em cinco anos, e para apresentar os novos investimentos que estão sendo trabalhados para o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP). Dentre os investimentos que estão sendo captados, destacam-se: uma unidade de regaseificação no valor de US$ 400 milhões em negociação com grupos internacionais e um complexo de geração de energia termoelétrica para 1.000 megawatts no valor de US$ 1,2 bilhão, concluindo uma rede de geração de energia para garantir infraestrutura para os empreendimentos futuros na área da ZPE Ceará e no Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

O encontro contou com a participação do Presidente da ZPE Ceará, Mário Lima Júnior, da diretoria executiva da estatal e de representantes da Receita Federal do Brasil. Na ocasião, foram apresentados também os números da movimentação de cargas, pessoas e veículos nos gates da ZPE Ceará desde agosto do ano passado e os planos de expansão da estatal. Segundo o presidente da ZPE Ceará, Mário Lima Júnior, a companhia tem dado todo o suporte necessário para o bom funcionamento das empresas instaladas. “A nossa estruturação garante a operação do complexo siderúrgico”, afirma. No período de janeiro a abril deste ano, houve uma movimentação de 3.750.356 toneladas nos gates da ZPE Ceará, incluindo matéria-prima, subprodutos e placas de aço. Já em 2016, a movimentação foi da ordem de 5.644.622 toneladas. Durante o encontro, as empresas instaladas parabenizaram o trabalho desenvolvido pela ZPE, que deu suporte a movimentação de um total de 1.855.971 toneladas de placas de aço entre agosto de 2016 e maio deste ano.

O Secretário de Assuntos Internacionais lembra que toda a operação foi realizada com mão de obra recrutada nas regiões de São Gonçalo, Paracuru, Caucaia e Fortaleza. A movimentação nos cinco primeiros meses deste ano envolveu cerca de 352.760 viagens de veículos na Área de Despacho Aduaneiro e nos gates da ZPE Ceará. No mesmo período, a ZPE controlou o acesso de 1.538.507 pessoas.  “É importante frisar que, além da infraestrutura disponibilizada pela ZPE Ceará, o Sistema de Controle Aduaneiro (SICA) desenvolvido na própria ZPE, para adequação das rotinas às portarias regulamentadoras da Receita Federal, foi decisivo para o sucesso dessas operações”, informa. Ele destaca ainda que a ZPE Ceará é fundamental para o desenvolvimento regional, pois além de estimular a balança comercial melhora a competitividade das exportações.

EXPANSÃO

O secretário de Assuntos Internacionais do Estado do Ceará, Antonio Balhmann, ressaltou os planos de expansão da ZPE Ceará. Ele lembra que em maio de 2016, a ZPE Ceará incorporou uma área de 1.911,04 hectares antes destinada para a implantação da Refinaria Premium II da Petrobrás, elevando sua área total para 6.182,44 hectares. A nova área foi dividida por setores, sendo o Setor II Norte destinado para a captação de um projeto de refinaria compacta e moderna e o Setor II Sul para indústrias dos setores calçadista, têxtil, petroquímico, metalmecânico, agroindústria, granito e alimentos.

Conforme Balhmann, o alfandegamento da nova área está sendo trabalhado a passos largos junto à Receita Federal do Brasil (RFB). Ele destaca que os projetos das obras de infraestrutura do Setor II já estão sendo elaborados e que alguns já foram, inclusive, licitados. “Já iniciamos os projetos dos gates, da terraplanagem da nova Área de Despacho Aduaneiro (ADA), do prédio administrativo-operacional, do pátio de 22.500 m², do armazém, com 2000 m², e da construção da cerca de 09 km e via de acesso da área. A nossa expectativa é que essas obras estejam concluídas até março de 2018”, explica.

PREMIAÇÃO

A ZPE do Ceará foi premiada em 2016 pela publicação Foreign Direct Investment (FDI) do jornal Financial Times de Londres, sendo reconhecida como uma das mais importantes zonas francas do mundo e como uma grande oportunidade de negócio para investidores internacionais.

Essa foi a primeira vez que uma zona franca industrial brasileira constou no ranking das zonas francas internacionais do FDI. A ZPE Ceará ganhou prêmios em quatro categorias, ou seja, “Melhor Zona Franca da América Latina e do Caribe- Grandes Inquilinos”; “Melhor Zona Franca para Infraestrutura”; “Melhor Zona Franca para Expansões” e “Melhor Zona Franca para Apoio à Educação e Treinamento”.

Os resultados foram publicados oficialmente na edição de outubro de 2016 da FDI Magazine. Para Balhmann, a premiação do Jornal Financial Times representa um indicativo de que a ZPE Ceará está no caminho certo. “A premiação do Financial Times é o reconhecimento do esforço do Governador Camilo Santana no sentido de garantir a afirmação da ZPE do Ceará com a sua enorme capacidade de gerar novos empregos. “, conclui.