Faturamento da ZPE Ceará cresceu 6,17% em 2019

3 de fevereiro de 2020 - 08:14 # # # # # # # # # #

Destaque para movimentação de cargas de minério de ferro e placas de aço

A Zona de Processamento de Exportação do Ceará – ZPE Ceará, parte integrante do Complexo do Pecém, apresentou em 2019 o seu melhor faturamento desde o início das atividades, em 2016, somando R$ 48,93 milhões, alta de 6,17% em relação a 2018, ano que já tinha sido o recorde da empresa.

Segundo o diretor presidente da empresa, Mário Lima, a ZPE Ceará, apesar de ser uma empresa nova, tem apresentado nesses seis anos resultados significativos para a economia do Estado. “A ZPE Ceará segue focada na prospecção de novos empreendimentos para o Estado, com todo o nosso potencial, sendo a única em funcionamento no país. Vamos continuar com o trabalho que tem sido realizado, buscando aprimorar nossos processos, produtividade, estimulando, assim, o desenvolvimento econômico e geração de mais emprego e renda para a região”, destaca o presidente da empresa.

Atualmente existem três empresas instaladas na ZPE cearense e responsáveis pela entrada e saída de produtos. A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), primeira siderúrgica do Nordeste, a White Martins, fabricante de gases industriais, e a Phoenix do Brazil, responsável pelo tratamento e reciclagem dos resíduos siderúrgicos da produção de aço gerados pela siderúrgica. Juntas, essas empresas somaram, em 2019, mais de 12 milhões de toneladas movimentadas através da ZPE Ceará.

Os destaques das cargas movimentadas através na zona de processamento de exportação cearense e que contribuíram para o acumulado de 2019 foram minério de ferro (4,7 milhões de toneladas), seguido de placas de aço (2,8 milhões de t), carvão mineral (2,3 milhões de t), escória (1 milhão de t ), e calcário (553.975 t).

Destaque nacional

A ZPE Ceará, além de ser a única em funcionamento no Brasil, é exemplo para outros estados que pretendem implementar uma Zona do tipo e se prepara para ampliar a sua área (ZPE II) com o fim de prospectar novos empreendimentos voltados para a produção de produtos a serem comercializados no exterior.

Com uma área de 23 hectares, a ZPE II fica a cerca de 5 km da ZPE I. Com um investimento na ordem de 15 milhões de reais, a expectativa é de que a obra esteja pronta até o final deste ano. Segundo Mário Lima, o novo espaço será, inicialmente, focado para a atração de empresas do setor de rochas ornamentais.